28 de nov de 2014

A Fada Verde!

É isso mesmo o que vocês estão lendo no título!
Uma fada verde posou no quintal e assoprou no meu ouvido bem assim:

- Hoje, faça a sua clorofila com algumas folhas de menta, gramas de trigo e muitas ora-pro-nobis. 

Eu fiz! 



Fiquei sentadinha ouvindo o suco descer como uma pluma pelo meu corpo... 

Ao absorver este doce cálice (cale-se), permaneci em silêncio por alguns instantes, sentindo as ondas da clorofila ativando a minha luz interior.

Ai, ai! Esta vida de artista... culinária! rsrs

Agora, tome nota desta receitinha balsâmica e revigorante inigualável!!!!

Ingredientes:


3 a 4 maçãs
30 folhas de ora-pro-nobis (você encontra em feiras orgânicas)
3 galhos pequenos de menta ou hortelã

Modo de fazer:

Corte as maçãs em quadrados pequenos. Lave e rasgue as folhas. Mãos à obra!

Bata as maçãs no liquidificador. Soque os quadradinhos de maçãs com o auxílio de um pepino ou cenoura (isso mesmo, como se fosse um pilão). Bata bem! Até virar um creme homogêneo.

Com o auxílio de uma bacia, coe a papa de maçãs em um coador de voal. O objetivo é retirar a água que fica dentro dos vegetais frescos.

Agora, bata as folhas no liquidificador com o líquido coado das maçãs (ora-pro-nobis faz uma baba incrível). Coe novamente no tecido de voal.

Está pronto! Manda lembranças à Fada Verde, por mim... rsrs

A clorofila é o líquido secreto contido em vegetais, com extrema vitalidade, capazes de sintetizar fótons de luz solar para, então, absorvê-los, armazená-los dentro de si e transmutá-los em AMOR.

Com carinho,

Aline Chaves
Pesquisadora dos Ciclos Alimentares e Alquimista de Vegetais Vivos

21 de nov de 2014

Bem-vindos aos brotos de Níger!!!!!!

Com alegre satisfação,
 apresentamos: 
Níger, aquele que veio da Nigéria! 


Níger é um tipo de semente bem rústica, porque foi pouco modificada geneticamente. Aliás, quase ninguém ouve falar dela. Por outro lado, economicamente acessível e de fácil produção e consumo na forma de BROTOS. 

O paladar é agradável... Lembra muito um cheiro de flor silvestre! Muito interessante em saladas, sucos e o que mais sua imaginação te disser... 

Agora, você ficou interessado, né? 
Pois bem, é possível que tenham algumas sementes de Níger esperando por você! 

Onde???? 

Nas melhores lojas de alimentos para pássaros que ficam próximas à sua casa. 

Ahhhh!!! Os pássaros... Sempre eles! rs 

Pássaros são exímios comedores de sementes que sabem o que é bom, de verdade. Não se seduzem por propagandas de televisão! Talvez por isso, grande parte das sementes que consumimos, na forma de germinados e brotos, derivam da observação de seus hábitos! 

Uma semente muito especial...



Preste bem atenção: não comemos Níger na forma de sementes germinadas... Apenas os germinamos para completar seu crescimento e produzir brotos!!!! Sim, são estes que nos interessam: brotos (pequenas plantas com duas folhinhas).
Brotos de Níger plantados na terra passeando pela Cruzinha

Brotos de Níger no ar
Os brotos de Níger são muito especiais por serem altamente versáteis. Diferentes de muitas outras espécies de sementes, estes aqui podem ser produzidos de duas formas diferentes... 

Escolhe aí a sua forma preferida e mãos à obra!

Brotos de Níger no ar 

Passo 1: Coloque 3 a 4 colheres de sopa de sementes dentro de um vidro grande com filó e elástico (a quantidade de sementes é pequena, pois os brotos crescem muito e podem ficar imprensados sem ar dentro do vidro). Tempo: mais ou menos 8 horas de molho na água


Passo 2: continuar o processo de germinação das sementes dentro do vidro com o filó e o elástico, respirando no ar. Lavar diariamente, pela manhã e à noite. Tempo: demora uma média de 5 a 7 dias respirando no ar
3º dia de germinação no ar

 Este processo demora quase uma semana... Diariamente, lave as sementes dentro do vidro com filó e elástico, pela manhã e à noite... Até que elas se tornem brotos no ar!


6º dia de germinação = brotação no ar

Agora, é só retirar do vidro. Gostou?
Lavem bem suas sementes... até que elas se tornem lindos brotos cheios de vitalidade, exuberantes, verdinhos, sem precisar de terra.

Atenção: lembre-se que brotos tem que ser saudáveis. 
Portanto, lave muito bem seus brotos de ar. Diariamente, duas vezes ao dia!


Brotos de Níger na terra 

Em uma bandeja furada, coloque 2 a 4 dedos de terra de qualidade...

De preferência, a terra do quintal mais próximo! Aquela fresca e cheirosa que fica embaixo de uma árvore frondosa e abundante.

Não vale terra de loja de plantas, pois estão cheias de aditivos químicos. Se não tem acesso à terra pura, procure húmus de minhoca que é mais limpinho. 

Coloque por cima da terra as sementes de Níger hidratadas (molho na água durante 8 horas) ou já germinadas. Você escolhe:


Regue diariamente seus brotos. Eles gostam de pouca água e luz indireta. Lembre-se, em 1 semana costumam estar prontos para comer. Os brotos são mais saudáveis quando consumidos com apenas duas folhas.


Vamos ver como eles se organizam no ecossistema da sua casa? Tem que fazer para descobrir... 



Espero que esta singela apresentação do Níger tenha contribuído para ampliar a sua pesquisa e deixar o seu brotário muito mais biodiverso e divertido... 

O nosso brotário é fofo e não precisa de muito espaço!



Sucesso na investigação!!!

Com carinho,

Aline Chaves e as Panelas de Capim

14 de nov de 2014

MacarrãoNada de abóbora paulista com lentilhas germinadas



Eis a pergunta que fica no ar... Como fazer macarrão de abóbora?

Primeiro lugar, não é qualquer abóbora, tá!

Abóbora paulista é aquela comprida. Por isso, conseguimos utilizar ralar os fios longos de macarrão vegetal. Entendeu?



Para aproveitar as tirinhas... é necessário ralar a abóbora no sentido longitudinal (de cima para baixo). Não é qualquer ralador, não. Tem que ser este aqui.

Para fazer os fios, basta coloca o ralador na vertical com a lâminas redondinhas voltadas para baixo.


Este aqui também serve! Basta ralar a batata no sentido longitudinal no ralo redondinho.


Melhor ainda se você tem um espirilizador (ralador japonês que corta o vegetal girando em espiral e os transforma em fios longos - bem semelhantes ao macarrão que nós conhecemos).




Vamos à receitinha básica?


Ingredientes:

1 xícara de lentilhas germinadas e descascadas (aprenda a germiná-las, clique aqui)
1/2 abóbora paulista
1 tomate

sementes de cominho à gosto 
coentro fresco à gosto
folhinhas de manjericão
azeite
limão
sal


Modo de fazer:

Deixar as sementes de cominho hidratadas em água pura durante 1 ou 2 horas. Retirá-las do molho. Picar o tomate, o coentro e deixá-los em um potinho de molho no limão, azeite e sal. Vai pegar gosto e ficar sensacional!

Enquanto o tempero fica descansando, descasque as lentilhas germinadas. Coloque-as dentro de uma  bacia com água. Esfregue-as com ambas as mãos. Depois que já tiverem soltado bem as cascas. Despeje as cascas para fora da bacia. Vá enchendo de novo a bacia e repetindo este processo até praticamente 80% a 100% das sementes ficarem sem a casca.

Agora, rale a abóbora paulista (com casca e tudo)... misture-a com a lentilha descascada e tempere com os demais ingredientes.

Quer Amornar seu macarrão?

Você pode amornar em uma panela de barro (ou ferro, ágata, inóx, vidro...). Nesse caso, o molhinho entra só no final, pois tanto o azeite, como o limão superaquecem. Tem que mexer muito e usar o fogo bem baixo, que é para o macarrão não ficar parado no fundo da panela.

Se preferir pode usar a mão dentro da panela para mexer, pois a mão é o termômetro do fogo da vida. É se que o alimento é vivo, o uso do fogo tem se que ser só para AMORnar sabe? É muito mais AMOR do que calor...

Quando é que fica pronto? Amorne até que a sua mão suporte o calor... Ficou morninho? É porque tá pronto... Coloque o molho temperado e arrase!

Faça a de-coração com a folhinhas de manjericão!

Desfrute das belezas, cores e sabores de uma Comida Viva!!!

Com carinho,

Aline Chaves
Pesquisadora dos Ciclos Alimentares e Alquimista de Vegetais Vivos

7 de nov de 2014

A Casa Viva!!!

Posso afirmar pela minha pequena experiência de vida (eu não sou tão antiga assim, rs)...

Uma casa é viva quando respira!



As casas falam muito sobre cada um de nós! Elas mostram como nos relacionamos com a vida. Nelas, colocamos expectativas, retiramos anseios e guardamos os nossos segredos. 



O respeito pela vida começa pelo corpo, nossa primeira casa. Com o tempo, se aprimora nas escolhas de estilos de vida. Até que um dia cresce, floresce e se alastra para os jardins, varandas e quintais.

Nossos estilos de vida refletem diretamente a expressão do lar onde vivemos:

  • De que material é feita a sua casa?
  • Existe aproveitamento de recursos naturais?
  • Há luz solar dentro de casa ou é necessário acender as luzes pela manhã?
  • Como é a paisagem da sua janela?
Suas respostas dirão se a sua casa respira...

A casa é um espaço para cuidar e ser cuidado. 
Quando você cuida da sua casa, 
ela cuida de você! 

Ao mesmo tempo em que a casa respira, nós respiramos também!

Quer ver alguns exemplos?

1. A presença de recursos da natureza...

Espaços acinzentados, cheios de metais, alumínios, revestimento em pvc, objetos de plástico em demasiado... geram tensões e criam ambientes estéreis! Você não vai querer isso para sua vida, não é mesmo?

Espaços que valorizam a vida recebem a presença da natureza! Nesse caso, há certos materiais que podem acrescentar, e muito, na organização da nossa casa e, claro, de nós mesmos...


Peças caprichosas de algodão dão a sensação de acolhimento. Cerâmica, pedras, barro, fontes de água, artigos de madeira (melhor ainda se forem materiais de reaproveitamento...) trazem a presença da terra para nossa casa.

E janela? Tem que ter mais de uma... Senão, os Anjos não podem entrar!

O Anjo do Ar entra para arejar. O Anjo do Sol? Se não conseguir entrar em casa, pelo menos que sua luz circule pelas paredes externas... Lembre-se: a função das janelas é facilitar a entrada dos Anjos!

Imagine que benção lhe trará um mini aconchego de plantas em um cantinho especial? É, no mínimo, muito mais oxigênio na sua vida! rsrs

Arranjo vegetal na parede... Costela de Adão.
Um vidro com água amarrado com arame
e pendurado por um prego como se fosse um quadrinho vivo! rs
Fundamental é a presença de vegetais! Nem que sejam as batatas doces, os inhames e as cebolas repousando numa cestinha em cima da mesa...

Tudo isso acorda nosso ser interno e relembra a nossa origem ancestral. É a geometria da natureza acordando quem somos, no verdadeiro íntimo!!! 

2. Quanto menos resíduos gerados, mais uma casa respira 

Exatamente! Excesso e o desperdício representam estagnação. É vida que não cresce, nem se movimenta... Não produz nada, apenas acumula e gera gasto de energia.

  • Quantas vezes você faz compras por semana?
  • Quanto lixo você produz em uma semana? Para onde ele é destinado?
  • Quantos objetos desnecessários você mantém ocupando espaço na sua casa?

Cuidar da casa também é uma oportunidade de agradecer a estadia neste Planeta chamado TERRA. 

Uma das formas de agradecimento está na nossa capacidade de exercer simplicidade e vazio! Somos mais felizes com mais objetivos e menos objetos.

Portanto, OLHO VIVO! Pouca geração de resíduos conduz a uma maior circulação e ciclagem de energias...


3. A organização reflexiva dos espaços domésticos


Cozinhas: a ligação com a terra


Quando você toca um alimento... está tocando todos os ciclos geradores que perpassaram longos caminhos para criação e transformação das espécies pela natureza.

Toda cozinha é sagrada! Se for uma cozinha vegana, viva e mega germinada, então!!! Afff..


Não é uma simples pessoa fazendo uma simples comida... É vida tocando outra vida e multiplicando MAIS VIDA AINDA! 

Nas cozinhas, recordamos a sensação de provimento entoada pela natureza farta e exuberante. Algo que nossos ancestrais já conheciam há milhares de anos! 


Banheiros e lavanderia: conexão com as águas...

Diariamente, ao acordar... nosso corpo busca fazer contato com as águas...



Sim, as águas que moram no banheiro! Lavar o rosto, escovar os dentes, tomar banho, permitir a continuidade dos ciclos das águas dentro de você (vulgo: fazer xixi)!


Ao conectar com as águas do nosso banheiro... 

bom mesmo é agradecer pela circulação desta energia vital 
por nosso corpo, nossa casa e nossa vida.

      Valorizar os ciclos das águas é fortalecer os caminhos internos e libertar os fluxos estagnados. É abrir teu coração para as correntezas... Livrar-se das águas tristes, das águas passadas, das más-águas (mágoas)!!!

      É vida circulando, querendo encontrar o mar! Confie! Existe beleza nisso...

      Quanto mais cuidarmos da nossa casa, mais sentiremos acolhimento e organização interna suficiente para prosseguir nossos projetos de vida.

      A Casa Viva – Aldeia Velha, RJ

      A nossa casa é assim...

      Assista ao video: A CASA VIVA

      Preparado com todo carinho especialmente para esta postagem:



      A nossa casa 


      Eu e meu companheiro, Luiz Nelson, vivemos em uma Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN Reserva Bom Retiro, em Aldeia Velha-RJ. Aqui realizamos atividades com Ecoturismo e Educação Ambiental, recepcionando diferentes tipos de hóspedes e visitantes.

      Somos guardiões de um espaço especialmente protegido... e queremos manter a coerência desta realidade com um estilo de vida menos agressivo possível. Isso é uma espécie de respeito pelo lugar onde vivemos. Aliás, esta deveria ser a busca interna de todos aqueles que querem viver próximo da natureza!
      "Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina!"
      Cora Coralina



      Aqui em casa, aprendemos com tudo aquilo que praticamos. Comunicamos tudo aquilo que vivemos...

      Utilizamos recursos da bioconstrução em algumas partes. Em outras, resolvemos apelar para tijolos e cimento mesmo. As paredes são pintadas com pigmentos de argila que coletamos nos arredores. Há tintas de terra com diversas colorações diferentes! Uma mais bonita que a outra.

      Há muito claridade por aqui! Utilizamos os vidros laterais de Kombi que compramos no ferro velho para fazer a iluminação de alguns pontos da casa, onde o telhado é feito de barro.

      Nossa cozinha respira e muito! Aliás, o nome dela é Cru-zinha (a cozinha que não cozinha). Eu não gosto muito de paredes... Então, ela imita uma varandinha (faz muito calor aqui onde nós moramos). As madeiras utilizadas para prateleiras foram sobras de uma antiga ponte que caiu aqui na Fazenda.

      Resíduos domésticos? 

      Resíduos sintéticos são muito escassos, uma vez que somos praticantes da Alimentação Viva. Além do azeite, consumimos apenas sementes germinadas, brotos e vegetais crus in natura. Os saquinhos gerados na compra de sementes transformam-se em saquinhos para produção de mudas! As garrafas de azeite? Viram paredes! Rsrsrs

      Os resíduos orgânicos tem destino certo! Vão para a Horta-Jardim em um sistema de compostagem direta... Assim, alimentamos os canteiros que nos alimentarão, também.

      O banheiro é meu lugar preferido! Onde nós organizamos a saúde corporal através das práticas de auto-cuidado. Não usamos papel higiênico. Nos lavamos com água e enxugamos com toalha de algodão. Temos uma fossa-filtro-sumidouro, uma espécie de filtro biológico anaeróbico para cuidar das águas que descem pela descarga.  As águas do chuveiro e pia vão para um filtro biológico de bananeiras...

      O cuidado com as águas tem reflexo na higiene pessoal. Fazemos sabonetes e xampus com argilas medicinais e nos lavamos com buchas vegetais. Tomamos banhos com ervas cheirosas. Tudo colhido por aqui mesmo. Nossas dicas de higiene pessoal estão em Higiene e Cuidado: valorizando os frutos da terra (clique aqui para acessar).

      O cuidado com produtos de limpeza da casa e material para lavagem das roupas também é delicadamente apreciado. Nosso queridinho é o desinfetante de limão, feito com as sobras de cascas dos limões utilizados na culinária do dia-a-dia. Seu uso é essencial para passar um pano úmido nas bancadas da cruzinha. Também é perfeito para limpar o chão da casa. Para conhecer nossas dicas de limpeza doméstica responsável? (clique aqui e acesse).



      Para nós, a casa é um local de resguardo e organização. Um resumo de nossas principais atividades e atitudes. Nela, exercemos a plenitude do nosso autoconhecimento. Especial para viver momentos de intimidade, praticar nossa serenidade, silêncio e exercitar a criatividade. 

      Verdadeiro lugar de recolhimento, onde somos acolhidos na solitude dos nossos sonhos e esperanças!

      Aqui, a vida se renova ao sol de cada dia!!!

      E a sua casa? Respira por onde?

      Com carinhoso amor,

      Aline Chaves e as Panelas de Capim

      Vale à pena, convidar vocês para os Ciclos de Oficinas da Casa Viva que ocorrem todo último final de semana de cada mês, aqui na sede das Panelas de Capim.



      As Oficinas da Casa Viva: 

      Jardinagem Comestível 

      Cosmetologia e Lavanderia Natural

      Pinturas com terra 

      Organização da Cruzinha

      Imersão na Alimentação Viva. Duração: 1 final de semana, saiba mais...
      Inclui hospedagem sem roupa de cama e banho em ecohostel, todas as refeições com Alimentação  Viva e orientação pedagógica.

      Informações sobre valores e inscrições: panelasdecapim@gmail.com

      PARA SABER QUANDO SERÁ A PRÓXIMA ATIVIDADE, 
      visite a agenda das Panelas de Capim:
      Clique na imagem acima!

      Alimentação Viva: um outro estilo de viver

      Afinal, o que é Alimentação Viva para você?  Para nós, não se trata de um hábito alimentar, muito menos de uma dieta. A Alimentação...

      Jovens postagens

      .

      O conteúdo deste blog é ofertado aos leitores que desejam aprimorar-se nas práticas da Alimentação Viva e inspirar-se no estilo de vida ecológico.

      Agradeço de profundo coração os compartilhamentos que CO-LABORAM para divulgar este trabalho, citando as respectivas fontes e autoria!

      Aqui mora um pequeno resumo dos muitos anos dedicados à pesquisa, onde uso o meu próprio corpo como experimento.

      Peço gentilmente que não utilizem as nossas publicações para fins comerciais. Só porque não vale à pena promover-se financeiramente às custas do esforço e criatividade alheios.

      A Vida vem da Vida!

      Com carinho,

      Aline Chaves
      A moça que planta nas panelas

      Licença Creative Commons
      Panelas de Capim de Aline Almeida Chaves está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
      Baseado no trabalho disponível em http://panelasdecapim.blogspot.com.
      Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

      O que tem dentro das Panelas de Capim?

      Voe para o nosso Site!

      Voe para o nosso Site!
      www.panelasdecapim.com.br