27 de fev de 2015

Sim, nós crescemos no contato com a Natureza!

“A vida primordial em nós reage
 de forma bastante precisa
 aos nossos ambientes.”
 Henryk Skolimowski

A vida contemporânea alienou nosso chamado interno pela convivência com a natureza. Com isso, abandonamos o privilégio de exercer nossa busca por vitalidade. 

Hoje, sentimos falta de ambientes e formas de viver
que alimentem nosso Ser...

As plantas!!! Os mais belos recursos que a Terra oferece para que possamos abrir o campo da consciência e co-evoluir. Sem elas, não teríamos chegado até aqui.

Acreditamos que há uma importância fundamental na participação dos vegetais no processo de cura da Humanidade...

O principal ensinamento é sobre Unidade.  Há uma complementaridade entre os Reinos para esclarecer que somos parte de um mesmo movimento, cifras de uma mesma música...

Possuímos a mesma herança ancestral! Somos parte do movimento de uma mesma jornada, de uma mesma vida!

No equilíbrio orientado pela biodiversidade do Planeta em que vivemos, nada existe sozinho! Complementamos, uns aos outros.

Co-existimos de modo harmônico e interdependente,
para manifestar a beleza da vida. 


As plantas são portais receptores da energia do Cosmos. Por causa disso, elas se elevam no movimento contra a gravidade para receber e interpretar a energia vinda do céu. Este processo de assimilação energética é conhecido como fotossíntese.

fotossíntese - respiração - alimentação

Através da fotossíntese, os vegetais produzem a clorofila, o sangue verde.
Enquanto isso, Seres humanos e animais precisam dessa energia para se locomover, interferir na realidade e construir novas formas de viver. 

Ao consumir clorofila, o corpo humano obtém a energia solar e enriquece o nível de hemoglobina: o sangue vermelho.

Pesquisadores modernos observaram que a hemoglobina vermelha reconhece a clorofila verde como um só sangue! Veja na imagem abaixo! São regidas pela mesma composição!


A única diferença é que a clorofila contém magnésio,
enquanto a hemoglobina é composta por ferro.

Além disso, plantam fornecem oxigênio, enquanto nós exercemos o dom da respiração. No momento em que recebemos o oxigênio, libertamos o gás carbônico que elas precisam para viver. 

Ainda há uma terceira complementaridade: a alimentação!

Os vegetais são capazes de traduzir elementos das profundezas do solo para, depois, ofertar-nos em forma de alimento: frutas, raízes, folhas, tubérculos, flores.

Quando interferimos neste processo, por meio do gesto de cultivar os nossos próprios alimentos criamos  uma troca energética muito poderosa. A força humana de enriquecer o solo e torná-lo sadio fortalece a rede de vidas entrelaçadas e expande.

É o dar e o receber!
Desse modo, as plantas representam um elo de ligação constante com o corpo interno da Natureza. Ao nos alimentar dessa energia, nossos corpos crescem e evoluem.


“É nas plantas que estão os segredos.
Para descobri-los, você tem que amá-las muito”
 George Whashington Carver, A Vida Secreta das Plantas.

A presença curativa

Basta estar presente em locais onde a força da natureza é mais comunicativa, para nos beneficiarmos do seu potencial de cura e proteção. Paisagens férteis em beleza, movimento e diversidade de vida tocam o nosso coração com a egrégora acolhedora dos seus campos energéticos poderosos.

A presença em ambientes originais recorda a nossa essência vibratória original e agiliza um processo de resgate para que possamos voltar a enxergar a beleza no fluxo da vida... e exercitar a compaixão!


“O sentido metafísico das florestas 
tem a ver com a qualidade dos espaços 
 destinados à tranqüilidade de nossas almas. 
Esses espaços são de silêncio, de sanidade, de nutrição espiritual,
dentro deles nosso ser fica reconfortado e em paz.” Henryk Skolimowski

Áreas selvagens são provedoras de vida, num sentido fundamental da palavra.

Selvagem é a cura pela liberdade de ser quem você realmente é, sem máscaras, sem conceitos pré-estabelecidos por sistemas de pensamento dominantes.



Quando nos entregamos à força dos ambientes autênticos, frutificamos em amor e criatividade! Crescemos!!! Libertamos o poder da consciência como a expressão viva da trajetória do nosso ser... 

Despertar como Ser humano é o caminho da essência original
 que sustenta e orienta a vida em cada um de nós... 

Portanto, re-descobrir nossa Humanidade nas florestas, nos riachos, lagos, cachoeiras, mangues, brejos, praias, cavernas... é a chave para abertura interdimensional dos nossos canais de conexão com a natureza! 

A vida vegetal organizada com outras formas de vida, do modo mais espontâneo e organizado possível! Bem ali, diante dos nossos olhos... 

E nos entregamos ao seu AMOR, com reverência e respeito. Nos permitimos ouvir a sua música, sem ouvido e sem som.

Na mais plena quietude da nossa existência, acessamos a vibração mais profunda do nosso ser, independente ao uso de qualquer substância externa! 


O nome disso é lucidez!
Silêncio, saúde e estado de presença... 


Desse modo, habitamos uma comunhão com a totalidade e a nossa alma respira!

É isso o que nos alimenta, de verdade! Alimento vivo da melhor qualidade... para vitalizar o corpo, a mente, o espírito e o coração.

Com amor,

Aline Chaves
Educadora para a Sustentabilidade

20 de fev de 2015

Risoto de aveia com quiabo ao molho de capim limão

Existem umas misturinhas bobas que dão super certo!
Esta é uma delas! rs


Fica bom demais, não toma muito o seu precioso tempo e dá liberdade para você exercer outros tipos de atividades...

O Alimento Vivo é acessado pelo corpo inteiro: caminhando ao ar livre, por exemplo.

Portanto, sugerimos a comida mais simples do mundo para comer no dia-a-dia. Assim, há diversidade de oportunidades para compartilhar a nossa alegria de viver em outros cantos, com outros encantos e outras histórias.


A alquimia deste prato está no sabor dos temperos que ficaram todos misturados no azeite extra-virgem, sob o sol do verão, dentro de uma casquinha de côco...
E não é que deu samba?

Meu Pai Celeste! Quanta delícia!!!

Ingredientes:






1 xícara de aveia inteira em grão e sem casca germinada na água (clique aqui e aprenda)
5 a 6 quiabos bem lavadinhos e cortados em rodelas finas
tomatinhos cerejas a gosto
1 cebola
1 limão
1 talo de capim limão (ou cebolinha à gosto)
ervas desidratadas
azeite extra virgem
sal

Modo de Fazer:





Não tem capim limão? Troca por cebolinha, que está tudo certo!

O modo de fazer é moleza ! Basta você colocar os temperos dentro de uma casca de côco: o capim limão, as ervas desidratadas, o azeite e o sal. Deixe no sol quando acordar de manhã. Na hora do almoço, o tempero já estará pronto!

Caso não dê muito tempo para esta mágica, 1 hora de sol já dá jeito nesse sabor... É que a casca do côco no sol presenteia uma mágica para este paladar, sabe? Huuummm

Bom, a parte do capim limão utilizada aquié o talo, a base do corpo dele. Corte em fatias bem finas, porque sua textura é mais grosseira. Ficar no sol com os outros temperos, ajudará a amolecê-lo.
Base do Capim Limão

Bem, agora você corta o quiabo e o tomate em rodelinhas. Que delícia!

Já comeu quiabo cru? É crocante... Corte em rodelinhas e espere o risoto ficar pronto para acrescentá-lo.

A cebola pode ser cortada do jeito que você quiser, tá! Pode colocá-la de molho na água por 5 minutos para retirar o excesso de ardido.

Se você quiser pode AMORnar em uma panela de barro (inóx, ágata ou vidro): os tomates, a cebola e a aveia germinada.

Use fogo bem baixo e vá mexendo rapidinho. Quando estiver morninho é porque pode desligar. Já está pronto! 
O objetivo é manter a temperatura do fogo da vida: até 43º. Não precisa de termômetro. É só tocar com as suas mãos que elas te dirão se já está no ponto ideal.

Agora, vai lá no sol e pega seu tempero pronto! Misture tudo ao risoto, acrescente o quiabo em rodelas no final.  Depois dele, pinga-se meio limão e está tudo pronto.


Em qualquer amornado em fogo baixo, o limão superaquece... Por isso, vai sempre por último.
 ****************
(ficamos sem as palavras rsrsrs)



Com a alegria de viver entusiasmada (Entusiamo = cheio de Deus dentro),

Aline Chaves
Pesquisadora dos Ciclos Alimentares e Alquimista de Vegetais Vivos

13 de fev de 2015

Soufflet Vivo e Vegano: grão-de-bico germinado

Olá para vocês!

Esta receita fez tanto sucesso aqui em casa... que já até repeti duas vezes em apenas 1 semana!

Sabe aquela história de uma combinação que dá misteriosamente certo? 

O exemplo vivo está neste souflltet! rs




Quer aprender a fazer Tortas e Soufflets da Alimentação Viva?

https://www.panelasdecapim.com.br/apostilasvivas



Bonito por fora!
Bonito por dentro... também!

Você também pode optar pelo forno aberto do fogão...

Aprenda a administrar o forno do seu fogão e transformá-lo em um desidratador doméstico. Nível mínimo de temperatura e tampa entreaberta para deixar sair a água dos alimentos.

Lembre-se que DES-HIDRATAR significa tirar as águas. Então, você cuida para o forno não fechar, senão vai superaquecer sua farinha que continuará úmida.

Uma boa dica de medição da temperatura é que suas mãos regem o termômetro do fogo da vida. Nesse caso, use-as para saber se a temperatura está quente demais ou de menos...

Ai, que saudades do sol!!!! Se ele estivesse por aqui... Não pensaria duas vezes em colocar meu soufflet para dourar no quintal!

Porém, sabe como é, né? No inverno, até o sol está com frio!

7 de fev de 2015

Alimentação Viva: um outro estilo de viver

Afinal, o que é Alimentação Viva para você?  Para nós, não se trata de um hábito alimentar, muito menos de uma dieta. A Alimentação...

Jovens postagens

.

O conteúdo deste blog é ofertado aos leitores que desejam aprimorar-se nas práticas da Alimentação Viva e inspirar-se no estilo de vida ecológico.

Agradeço de profundo coração os compartilhamentos que CO-LABORAM para divulgar este trabalho, citando as respectivas fontes e autoria!

Aqui mora um pequeno resumo dos muitos anos dedicados à pesquisa, onde uso o meu próprio corpo como experimento.

Peço gentilmente que não utilizem as nossas publicações para fins comerciais. Só porque não vale à pena promover-se financeiramente às custas do esforço e criatividade alheios.

A Vida vem da Vida!

Com carinho,

Aline Chaves
A moça que planta nas panelas

Licença Creative Commons
Panelas de Capim de Aline Almeida Chaves está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://panelasdecapim.blogspot.com.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O que tem dentro das Panelas de Capim?

Voe para o nosso Site!

Voe para o nosso Site!
www.panelasdecapim.com.br