7 de fev de 2015

Ricota de gergelim germinado com inhame

INHAME, INHAME, INHAME!!!!!!


https://www.panelasdecapim.com.br/apostilasvivas


Possui aroma e paladar únicos!

Com carinho,

Aline Chaves
Pesquisadora dos Ciclos Alimentares e Alquimista de Vegetais Vivos

16 comentários :

  1. A montagem do prato ficou a coisa mais bonita desse mundo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradecida, Cássia!

      Um beijão para você, querida.

      Excluir
  2. Bom dia, tenho aprendido muito contigo, obrigado pela iniciativa desse trabalho, muito lindo mesmo!! Fiz essa receita de ricota, exatamente como tu ensinou, mas a minha ficou amarga,
    o que pode ter acontecido? também fiz o pão que ensinas-te na outra postagem, fiz com grão de aveia germinado que comprei em casa que vende para pássaros, ficaram lindos
    como bolachas craker, o cheiro suave textura e crocancia perfeita, só temperei com sal, também amargou, será que é a qualidade da semente, talvez resquícios da casca, observei
    que poucos grãos germinaram, fiquei com um misto de amargo e adsteingencia na boca
    te agradeço muito se puder me responder, sou iniciante nessa alimentação e tenho muitas dúvidas. Att Márcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Márcia!

      Olha que interessante esta tal de culinária viva? Não é como as receitas convencionais que compramos ingredientes prontos, misturamos e o resultado fica matematicamente semelhante, quase sempre.

      Nada disso, moça! rs Aqui o buraco é mais embaixo. Você torna-se experimentAMOR... porque iniciou sua pesquisa com alimentos vivos. Tudo pode acontecer!

      É isso mesmo! Inicia-se uma pesquisa sobre onde encontrar sementes de qualidade; como germinar de uma maneira perfeitamente saudável (na prática); como lidar com cada semente, entre outros... Quanto mais sua pesquisa se desenvolve e toma corpo, mais o paladar te agrada e te encoraja para continuar.

      Quais os mistérios dos amargos nas sementes germinadas?

      1. Gergelim

      Nós orientamos a germinação de sementes no ar com a pontinha da radícula (o narizinho) recém saindo da semente. Certo? No caso do gergelim, quando este narizinho da semente cresce mais do um poquinho... vem um AMARGOSO horrível que é mais identificado quando ele é liquidificado.

      Portanto, a comida viva só fica boa mesmo quando a germinação está saudável. Se tá amargo, é teu corpo te ensinando a cruzinhar... para dizer que aquilo não está bom. Passou do ponto... Entendeu?

      2. Aveia inteira sem casca, germinada na água:

      O amargo na aveia é um caso de observar a qualidade oferecida pelo fornecedor de sementes.

      Sim, porque há tipos e tipos de aveia. Tem umas mais lindas, cheirosas, amarelinhas... Tem outras mais despedaçadas. Essas a gente não compra, não.

      É uma questão de vivência e insistência: encontrar um bom fornecedor de sementes de aveia sem casca. Outra situação é a germinação: aqui é outro tipo de semente e de situação, germina-se a aveia na água, pelo menos 24 horas de molho (trocando de água, pela manhã e à noite). Você fez assim?

      Bem, desejo boa sorte para continuar sua pesquisa sem medo de errar...

      O praticante é aquele que adquire conhecimento pela própria experiência transfomadora.

      Um beijo!

      Excluir
    2. Querida mais uma vez obrigada pela resposta atenciosa.
      Hoje já tem outra ricota pendurada só esperando a fermentação, acho que agora vou acertar, deixei o gergelim menos tempo e coloquei menos limão, para ver se fica um pouco mais suave.
      Quanto a aveia tu tens razão, acho que deixou a desejar na qualidade, comprei em casa que vende comidinha para pássaros, veio embalada mas a qualidade acho que não era boa tinha uns pretinhos e estava um pouco quebradinha.
      Achei um outro lugar que vende para consumo humano em uma casa de produtos naturais no mercado público, agora vou tentar de novo.
      Estou adorando a comida viva e já tenho sentido os benefícios no meu corpo e mente.
      Aline, eu tentei o pãozinho vivo com aveia, pois a muito tempo não como glutem,
      não que seja intolerante, mas por tudo que é falado a respeito do prejuízo que causa ao intestino e a saúde, tais como alergias. Gostaria de saber o que você
      pensa a respeito quanto ao uso do trigo germinado, sei que a aveia não tem glutem, mas vem nos rótulos contendo pela contaminação que se dá no processamento. Esse pãozinho vivo que fiz com a aveia em grão, apesar do amarguinho, ficou cheiroso e com textura muito bonita.
      Bj Márcia

      Excluir
    3. Oi Márcia!

      Ah!!! Os cereais! Vamos ao glúten, então... rs

      Na publicação DR. SOLEIL (Você sabe se alimentar?), é esclarecido que os cereais possuem glúten, o qual somente torna-se nocivo ao organismo humano quando processado pelo cozimento.

      Por que?

      O cozimento elimina a Vitamina E, responsável por digerir o glúten em nosso organismo, criando uma série de intoxicações pela ingestão deste alimento, que passa a ser nocivo.

      Sendo assim, a preparação de cereais pelo processo d​a germinação preserva a Vitamina E, responsável pela digestão do glúten e não provoca nenhum desgaste
      ​​no funcionamento dos intestinos​​.​

      Isso ocorre, pois a germinação é uma espécie de pré-digestão que transforma sementes,​ ao invés de desestruturá-las. Torna-as: macias, sem gorduras, sem açúcares, digere o glúten ​e torna o ​paladar e a digestão ​muito ​mais delicados.

      ​Lembrando que, para ge​r​minar, tem que ser inteira:

      Aveia inteira em grão (descascada)
      trigo em grão
      centeio em grão
      cevadinha em grão .

      Eu sugiro que faça uma pequena experiência. Prove e aprove! Seu corpo vai te dizer como estas informações se encaixam em sua realidade...

      Um beijo e boa sorte!

      Excluir
  3. Oi Aline, que coisa mais linda, sua resposta, é de uma generosidade tão grande que emociona, muito obrigado querida pela explicação bem detalhada, denota o amor com que
    tu fazes as coisas.
    Estou aprendendo muito. Bjs Márcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline. me diga uma coisa, tudo pode ser comido cru? ou tem algum cereal, ou semente, raiz, legume que necessariamente por questões de toxidade ou absorção que precisem se amornados ou fermentados. Fiz o grão de bico germinado cru e bati ele depois de retirar a casca com abacate azeite de oliva e sal depois de triturado coloquei salsinha. Ficou muito bom, o inhame tenho usado
      raladinho cru com alho poró sal e azeite de oliva, brócolis cru no socador com temperos, abobora e moranga raladinha cru. Outra dúvida é saber se posso comer as mesmas sementes com variações nas misturas todos os dias, por exemplo como aveia, semente de girassol, linhaça, castanhas, inhame, abobora, cenoura, couve todos os dias só mudo a combinação das misturas e temperos,
      Querida se puder me ajudar, sou iniciante nessa arte tão linda da alimentação viva; Bj Marcia

      Excluir
    2. Oi Márcia!

      Esta orientação mais detalhada está contida em nosso material didático: as apostilas vivas.

      A Apostila Alimentação Viva: Por Onde começar é dedicada aos iniciantes que desejam ingressar nessa jornada saborosa...

      Havendo interesse, mande um e-mail para: panelasdecapim@gmail.com

      Gratidão,

      Excluir
    3. Oi Aline, que legal, vou querer sim. estou adorando me aventurar em tuas receitas
      Bj Márcia

      Excluir
  4. flor, qual a quatidade de limao? obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Isabella!

      Depende da quantidade que você quiser.

      Para esta receita aí... 1/2 limão limão tá bom!

      Aos poucos, você sentindo as porções que formam as poções mágicas... rs

      beijo

      Excluir
  5. Aline, boa noite! Passei para dizer que meu queijinho está no suadouro e amanhã verei como ficou. Muito obrigada por compartilhar essa receita. Um beijo

    ResponderExcluir

Olá!

Escreva aqui o seu comentário sobre a postagem.

Alimentação Viva: um outro estilo de viver

Afinal, o que é Alimentação Viva para você?  Para nós, não se trata de um hábito alimentar, muito menos de uma dieta. A Alimentação...

Jovens postagens

.

O conteúdo deste blog é ofertado aos leitores que desejam aprimorar-se nas práticas da Alimentação Viva e inspirar-se no estilo de vida ecológico.

Agradeço de profundo coração os compartilhamentos que CO-LABORAM para divulgar este trabalho, citando as respectivas fontes e autoria!

Aqui mora um pequeno resumo dos muitos anos dedicados à pesquisa, onde uso o meu próprio corpo como experimento.

Peço gentilmente que não utilizem as nossas publicações para fins comerciais. Só porque não vale à pena promover-se financeiramente às custas do esforço e criatividade alheios.

A Vida vem da Vida!

Com carinho,

Aline Chaves
A moça que planta nas panelas

Licença Creative Commons
Panelas de Capim de Aline Almeida Chaves está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://panelasdecapim.blogspot.com.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O que tem dentro das Panelas de Capim?