22 de jul de 2016

Pão rústico de erva doce e batata doce

Esta receita de pão é mole! Tão mole... que dá até para fazer no liquidificador! rs

Em outras palavras, esta receita é um presente. Além de ser fácil de fazer, não machuca o nosso amigo eletrodoméstico: liquidificAMOR.


Close na massa pronta e beliscada pela fotógrafa (eu mesma),
segundos antes de tirar a foto!

te convenci a tentar fazer a receita? rs

Então, tá certo! Agradece à amiga batata doce! É ela quem dá a liga na massa e ajuda a processar as sementes de trigo germinadas. A hélice roda e a vida acontece em transformação...


Ingredientes:


1 xícara de trigo germinado no ar (clique aqui e aprenda a germinar sementes no ar)
1 batata doce
erva doce fresca (ou sementes de erva doce)
azeite extra-virgem prensado a frio
sal 
 
Extra: 1 cenoura para ser o pilão 

Modo de fazer:


Basta ralar a batata doce (não precisa descascar) e deixar de molho na água por 2 minutos. Esprema no tecido de voal para retirar o excesso de líquido. 

Coloque a batata doce ralada no fundo do liquidificador. Por cima, as sementes de trigo e folhas frescas de erva doce. Aproveite e jogue logo o tempero: sal e azeite extra-virgem prensado a frio. Soque a mistura com o auxilio de uma cenoura. Faça isso com o liquidificador ligado e com a mistura dentro. Insista até virar um creme homogêneo. Não use água.

Retire a massa. Modele no formato desejado e leve ao sol.


Não tem sol?


Utilize o forno aberto do seu fogão para desidratar. Lembre-se... Na alimentação viva, tem mais AMOR do que CALOR! Portanto, temperatura no mínimo. 

A função da desidratação é retirar as águas... Por isso, o forno tem que ser aberto. Para o ar circular livre. Coloque, vez ou outra, sua mão na travessa. Se estiver muito quente... invente. Abra mais um pouco a porta do forno. Vá sentindo! Suas mãos são o termômetro do fogo da vida. É assim que se descobre a temperatura ideal para fazer um pão vivinho da silva.


Outra coisa, o forno não precisa ser escancarado... A abertura da porta pode ter o tamanho de meio palmo da sua mão aberta. A criatividade é como conseguir deixar a porta do forno entreaberta! AH! Mais uma tecnologia que só quem brinca de cruzinha viva, poderá se aventurar para saber.

As florzinhas da foto são as albinas...





O charme de ser rústico?

O pão que não foi formatado numa caixa pronta com centímetros delineados, paredes precisas e possui comportamento perfeitamente previsível da forma...

Esse aqui foi modelado na mão. Tocado, purificado, embalado pelas células do sentir.

O rústico é quele que consegue ser original sem perder a compostura. É ser bruto, sem perder o brilho e o mais interessante de tudo... de apresentar um aspecto selvagem, sem abrir mão da delicadeza de ser puro, delicado e delicioso.


Com carinho especial pelas coisas rústicas,

Aline Chaves
Pesquisadora dos ciclos alimentares e alquimista de vegetais vivos

.

O conteúdo deste blog é ofertado aos leitores que desejam aprimorar-se nas práticas da Alimentação Viva e inspirar-se no estilo de vida ecológico.

Agradeço de profundo coração os compartilhamentos que CO-LABORAM para divulgar este trabalho, citando as respectivas fontes e autoria!

Aqui mora um pequeno resumo dos muitos anos dedicados à pesquisa, onde uso o meu próprio corpo como experimento.

Peço gentilmente que não utilizem as nossas publicações para fins comerciais. Só porque não vale à pena promover-se financeiramente às custas do esforço e criatividade alheios.

A Vida vem da Vida!

Com carinho,

Aline Chaves
A moça que planta nas panelas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O que tem dentro das Panelas de Capim?

Por onde começar?

Por onde começar?
Apostila para iniciantes na Alimentação Viva.

Manual de Alimentação Viva - Parte I

Manual de Alimentação Viva - Parte I
Para praticantes intermediários e avançados.