30 de mai de 2014

Massa Puba: a fermentação da mandioca

Há muitas formas de se comer mandioca sem precisar cozinhá-la. 

Todavia, eu confesso: massa puba é a minha preferida!


Desde muito antigamente, os povos indígenas já praticavam a sabedoria de colocar a mandioca para conversar com a Mãe d´Água. Colocavam a mandioca com casca e tudo na beira do riacho... e sob as águas correntes dos dias que se passavam testemunham seu processo de mutação na natureza.

Massa Puba!


É! Tá certo que não tem cara de princesa... rs 

O aroma também não é lá estas coisas. Mas, o paladar e a força disto na sua comida. Não tem distinção!!!!
E se alguém ainda tem alguma dúvida sobre a maravilha que o processo da fermentação pode provocar no funcionamento das funções vitais do nosso corpo, faça uma visitinha à postagem sobre alimentos fermentados (clique aqui).

Chamamos de fermentação da mandioca, esse processo tão querido pelo povo que habita o nordeste brasileiro.
E daremos os passos para fazê-la, a seguir: 

Ingredientes:

Água
Mandioca
Tempo

Modo de Fazer:


Deixar a mandioca com casca e tudo de molho em um recipiente coberto com água, de 3 a 5 dias. Trocar a água 1 vez por dia...

Opção 1: bacia de vidro coberta com um prato

Opção 2: pote de vidro com tampa

É muito importante que toda a mandioca esteja submersa, de modo que não tenha nenhuma parte fora da água, sob pena de oxidar.

Também é importante trocar a água todos os dias. Até que um dia, a mandioca amolece e fica macia.

No alto verão, é possível fazer massa puba em 3 ou 4 dias. Já no inverno, o processo é mais lento, podendo chegar até 1 semana ou mais.

O ponto perfeito é vê-la desmanchar nas mãos...



Quando isso acontece: a mandioca conseguiu “pubar”! (ATENÇÃO: este não é um efeito muito agradável à qualquer olfato... Mas, o resultado final, acreditem, é espetacular...)

Agora, é necessário descascar e despedaçar pouco a pouco, como se fosse desfiar...


Depois de desfiada, é necessário espremer a massa puba em um coador de voal para retirar todo o excesso de líquido.



A massa de mandioca que fica dentro do coador deve ser aberta em uma peneira e levada ao sol ou ao forno aberto do fogão para desidratar.

É necessário esfregar com as duas mãos para abrir a massa puba... Espalhar bem uma do ladinho da outra fará que seque mais rápido.

Como funciona o forno aberto do fogão?


Temperatura no mínimo, porta entreaberta para deixar o ar circular dentro do forno. A desidratação só ocorre com a circulação do ar quente. No caso da alimentação viva, não pode ser muito quente assim... Por isso, orientamos a pousar as mãos sobre a travessa com a massa puba, de vez em quando, para que haja o controle da temperatura. Isso é muito importante para criar a intimidade com a nova profissão do seu forno: desidrata-AMOR (mais AMOR do que calor).


A massa puba desidratada pode ser armazenada em recipiente de vidro com tampa por até 2 meses.

O uso na culinária é vasto, enriquece farofas, dá liga para massas de empadões, pães...
 
Além de fazer um maravilhoso queijo ralado!!!!

Segue a receita do queijo ralado de mandioca fermentada:


Tempere  1 xícara de massa puba desidratada com azeite extra-virgem, 1 colher de levedo de cerveja e sal. Está pronto seu queijo ralado!

18 comentários :

  1. Fiquei com água na boca, mesmo imaginando o cheirinho... Heheheh. com certeza vou provar!!! Nunca gostei de mandioca cozida (sempre comi) ela é neutra e não tem gosto nenhum, mas agora na alimentação viva tenho utilizado muito para fazer cremes e sopas. Essa nova sugestão vai me ajudar muito a diversificar.

    Obrigada por compartilhar conosco.
    Um abração.

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Oi Gerson!

      Eu jogo nas plantas. Mas, tenho uma amiga que gosta de usar para servir de base para sopas.

      Sente aí o que teu coração diz quando olha para o tal líquido!

      Fique com a PAZ!

      Excluir
  3. Muito bom! Tudo que leio no panelas de capim me acrescenta em conhecimento e incentivo para continuar transformando minha vida. Ver uma jovem com tanta vitalidade e sabedoria nos regenera. Muito obrigada por disponibilizar informações simples e essenciais.
    Gosto muito de bolo de puba. Vou fazer bolo de puba com melado de cana assado no sol.
    um abraço !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que ótimo! Fico muito feliz de ler esta mensagem e ver que estamos conseguindo fazer a comunicação.

      Paz no coração, saúde no corpo são!!!

      com carinho,

      Excluir
  4. Em Salvador, onde vivo, chamam essa massa de carimã. Há um bolo típico feito com ela que é possível encontrat facilmente por aqui. Vou experimentar fazer a massa.
    Gratidão.

    ResponderExcluir
  5. Menina!!! Você é especial!!! que beleza o seu blog. Como se aprende de uma maneira clara, fácil e carinhosa!!! Você é realmente ESPECIAL. Parabens.Sueli.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradecida querida Sueli!!!!

      Um abraço apertado para você!!!

      Excluir
  6. Estou com a mandioca submersa a quase 2 semanas e nada de amolecer, deve ser por causa das baixas temperaturas por aqui né... Vamos esperar!!!
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, menina!

      Frio altera tudo... Ainda mais você aí no sul!!!

      Mas, a espera ansiosa pelo resultado faz parte da pesquisa... rs

      beijos

      Excluir
  7. Eu me lembro do mingau e do bolo feito e assado nas brasas do fogão de lenha, tudo de puba oohh saudade <3 nos dias de hoje o que não falta de jeito nenhum na minha casa, sujeito a MANIFESTAÇÃO é a Farinha de Puba, é eu como com tudo que você imaginar ;)

    ResponderExcluir
  8. Oi Aline, já estou com minha mandioca de molho, gostaria de saber se é preciso desidratar ou posso usa-la para fazer tapioca úmida, fazer alguma mistura com frutas, servir de base para os queijos vivos. Que tu acha? que gosto tem essa massa puba, estou curiosa kakak
    Tenho me aventurado em tuas receitas, estou encantada, cada uma bem sucedida é uma alegria, fiz o rejuvelac de trigo germinado, agora estou fazendo de quinua, ficaram muito bons, já fiz queijos, pão de aveia germinada desidratada. Aline fiz salada de chuchu ralado
    ficou uma delicia com temperinhos posso né, bj querida

    ResponderExcluir
  9. Aline, gratidão por compartilhar saberes da alquimia da cruzinha. Fiz a massa puba aqui em casa. Nesse inverninho do Rio, levou uns 9 dias até ela se desmanchar. Com a água que sobrou da última fermentação, fiz uma experiência com o repolho. Em menos de 24 horas o chucrute estava pronto. Fermentadíssimo. GratidOM!

    ResponderExcluir
  10. Olá, Aline! Deixei o aipim de molho por uns vinte dias e nada de amolecer. Fermentou mas não ficou mole como você mostra aqui no seu blog (ficou um pouco amolecida, em pedaços...) e troquei a água todos os dias. Não sei o que eu fiz de errado...Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana Maria!

      Nossa! Aí é tão frio assim? Recomendo tentar uma nova experiência no tempo de calor. Verá que ficará pronta mais rápida e dará muito certo.

      Não é a toa que a experiência de fazer massa puba é um hábito muito apreciado pelos nordestinos! rs Faz muito calor lá, né?

      Excluir
  11. Siempre quiz aprender essa receta e nunca a achei. Minha mãe siempre dizia que era una delicia! Muito obrigado.

    ResponderExcluir

Olá!

Escreva aqui o seu comentário sobre a postagem.

Alimentação Viva: um outro estilo de viver

Afinal, o que é Alimentação Viva para você?  Para nós, não se trata de um hábito alimentar, muito menos de uma dieta. A Alimentação...

Jovens postagens

.

O conteúdo deste blog é ofertado aos leitores que desejam aprimorar-se nas práticas da Alimentação Viva e inspirar-se no estilo de vida ecológico.

Agradeço de profundo coração os compartilhamentos que CO-LABORAM para divulgar este trabalho, citando as respectivas fontes e autoria!

Aqui mora um pequeno resumo dos muitos anos dedicados à pesquisa, onde uso o meu próprio corpo como experimento.

Peço gentilmente que não utilizem as nossas publicações para fins comerciais. Só porque não vale à pena promover-se financeiramente às custas do esforço e criatividade alheios.

A Vida vem da Vida!

Com carinho,

Aline Chaves
A moça que planta nas panelas

Licença Creative Commons
Panelas de Capim de Aline Almeida Chaves está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://panelasdecapim.blogspot.com.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O que tem dentro das Panelas de Capim?