24 de jan de 2014

Os brotos que vão para Horta-Jardim!

Vamos falar mais um pouco sobre como os alimentos chegam à nossa mesa? 

A melhor receita é aquela que interage e compreende os ciclos alimentares.

Agora, vamos aprender a fazer brotos para alimentar a Horta-Jardim que um dia nos alimentará também...

(veja os links sobre como preparar sua horta-jardim: parte I e parte II)


Há espécies de ciclo curto que exigem o plantio direto: pepino, cenoura, abóbora, quiabo, rúcula, almeirão, bucha, gengibre, cúrcuma, chuchu... 

Porém, há espécies de ciclo curto que necessitam ser plantadas em sementeiras para depois serem transplantadas para o canteiro definitivo: alho poró, cebola, cebolinha, alface, mostarda, chicória, tomate, beringela, pimentão, jiló, couve... 

As plantas que necessitam de transplante devem ser plantadas com uma antecedência (em média de 1 mês) em sementeiras. 


Como preparar sua sementeira?

Você pode comprar sua sementeira de plástico ou isopor em lojas agrícolas, pela internet ou ao vivo. Também pode re-utilizar embalagens de caixa ovo ou copinhos de guaraná natural que encontrar por aí...



A terra que fica nas sementeiras deve ser preparada da seguinte forma:

- Comece com 1 parte de carvão picadinho no fundo da sementeira.
- Cubra com 1 parte de terra fofa bem pretinha e cheirosa (pode ser húmus ou material - pronto de alguma compostagem)
- Depois, colocar cuidadosamente: 1 a 2 sementes por buraquinho.
- No final, cobrir com terra peneirada.

Regar suas sementeiras 1 vez por dia o inverno ou 2 vezes por dia no verão.

obs: irrigação deve ser realizada sempre no finalzinho da tarde ou no princípio da manhã.

Estas sementeiras serão organizadas em Viveiros de Falantes.

O que são Viveiros de Falantes?


Viveiros de Falantes são espaços construídos para proteger as sementeiras da exposição direta ao sol, ventos e calor excessivo.



Normalmente, são cobertos com um plástico transparente específico para viveiros, uma vez que evitará a agressão das chuvas fortes, ao mesmo tempo que permite a entrada de sol.

Afinal de contas, sem sol ninguém cresce nesta vida!

É legal também colocar sombrite no verão... porque calor demais não rola para bebês recém-nascidos, nesse caso, os brotos da sementeira!

Preferimos chamá-lo de Viveiro de Falantes... porque Acreditamos sinceramente que elas não são “mudas”!


Este aqui é um broto de couve! Uma semente que germinou na sementeira, morou no Viveiro das Falantes e ficou lá... sendo cuidada e crescendo por cerca de 1 mês!

No funda da sementeira tem um monte de furinhos que você espeta com um graveto fino de madeira... Você literalmente expulsa a plantinha da sementeira empurrando-a com o graveto para cima. 

Aliás, a função do carvão no fundo da sementeira é adsorver os excessos de líquidos permitir que seja formada uma linda rede de raízes no fundo das sementeiras. 

Vai formar um torrãozinho de raízes, o que tornará a planta muito mais resistente ao sol e ao cansaço de passar por uma longa cirurgia de transplante... 

Com o torrãozinho intacto o fato de ser uma transplantada vai ser moleza para elas!


Agora, está na hora de ir para a Horta-Jardim...


E ficar lá quietinha crescendo... Esperando a chuva e você!

4 comentários :

  1. amooooooooo entrar e me derreter de prazer olhando todas estas hortas lindas,obrigada amiga,penso em plantar seguindo seu estilo,em um pequeno sitio k tenho aqui perto

    ResponderExcluir
  2. Esse carvão picadinho é aquele comum que se compra pra fazer churrasco?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Angélica!

      Sim, pode ser o carvão comum comprado em mercados ou aquele que nasce das fogueiras de quintal... Você decide qual a sua fonte.

      beijos

      Excluir
  3. muito esclarecedor, amei e aprendi ainda mais.

    ResponderExcluir

Olá!

Escreva aqui o seu comentário sobre a postagem.

Alimentação Viva: um outro estilo de viver

Afinal, o que é Alimentação Viva para você?  Para nós, não se trata de um hábito alimentar, muito menos de uma dieta. A Alimentação...

Jovens postagens

.

O conteúdo deste blog é ofertado aos leitores que desejam aprimorar-se nas práticas da Alimentação Viva e inspirar-se no estilo de vida ecológico.

Agradeço de profundo coração os compartilhamentos que CO-LABORAM para divulgar este trabalho, citando as respectivas fontes e autoria!

Aqui mora um pequeno resumo dos muitos anos dedicados à pesquisa, onde uso o meu próprio corpo como experimento.

Peço gentilmente que não utilizem as nossas publicações para fins comerciais. Só porque não vale à pena promover-se financeiramente às custas do esforço e criatividade alheios.

A Vida vem da Vida!

Com carinho,

Aline Chaves
A moça que planta nas panelas

Licença Creative Commons
Panelas de Capim de Aline Almeida Chaves está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://panelasdecapim.blogspot.com.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

O que tem dentro das Panelas de Capim?